Lins Imperial a um passo de ter seu reconhecimento cultural

A maioria dos vereadores da Câmara aprovou o projeto de lei 448/2017, que “Reconhece como de interesse cultural e social para o município do Rio, a Sociedade Recreativa Escola de Samba Lins Imperial”. A proposta ainda precisa ir à sanção do prefeito para virar lei.

A Lins Imperial foi fundada em março de 1963, resultado da fusão das escolas de samba Filhos do Deserto, criada em 1933 e Flor de Lins, fundada no ano de 1946. As duas existiam na favela da Cachoeira, no bairro do Lins de Vasconcelos.

Em 1975, a Lins Imperial conquistou o título do segundo grupo com o enredo “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, e subiu para o grupo principal. Em 1976, entre as grandes escolas de samba do Rio e com o enredo “Folia de Reis”, a Lins não conseguiu se manter no grupo especial e só voltou no ano de 1990, quando desfilou com enredo homenageando Madame Satã. No ano de 1991, a escola desfilou no grupo especial com o enredo “Chico Mendes, o arauto da Natureza”.

A Lins Imperial então entrou em crise financeira. Manteve-se apresentando seus carnavais com grandes dificuldades, permanecendo no Grupo A de 1992 até 1995. No ano seguinte desceu para o grupo B, onde a Lins Imperial foi tricampeã, conquistando o título de 1997,2003 e 2007 e retornou ao Grupo A, nos anos de 1998, 2004 e 2008. Em 2011, com muitas dívidas e problemas de gestão, a Escola sofreu uma tremenda queda, com 3 descensos seguidos, parando na quinta divisão do acesso, o Grupo E, atualmente Grupo D.

Em 2014, a Escola de Samba Lins Imperial, já cinquentenária e com tanta tradição, como uma Fênix renasceu das cinzas, sendo vice campeã do Grupo D com o enredo “Tenha Fé”. Obteve acesso ao Grupo C, atual Série C. Em 2017 com o enredo “O Monarca do Samba” e um desfile impecável, ficou empatada em primeiro lugar e na segunda colocação pelo critério de desempate, obtendo o acesso à Série B para o carnaval de 2018.

A Lins Imperial conta com sua Escola Mirim, a Infantes de Lins, que desfila pela Associação das Escolas de Samba Mirins do Rio de Janeiro. Promove a formação dos futuros componentes e conta com diversos projetos, como o projeto sociocultural do grupo “Guerreiros da Guia”, que desenvolve oficinas de percussão, teatro e dança. A Lins Imperial realiza também diversas atividades culturais, esportivas, educacionais e de promoção da cidadania.

Com mais de 84 anos de história e 54 de fundação, esta Escola de Samba tem grande importância na preservação e promoção da cultura do Samba e para a resistência da cultura afro-brasileira no Rio de Janeiro, especialmente na zona norte. A Sociedade Recreativa Escola de Samba Lins Imperial é também um importante ponto de cultura para comunidade local, estimulando práticas socioculturais e formando profissionais do mundo do samba. Ao longo do tempo, vem incessantemente preparando cidadãos e até mesmo salvando vidas, dando oportunidades e tirando crianças das ruas, provendo esperanças às famílias do complexo do Lins e do bairro do Lins de Vasconcelos como um todo.

Ao reconhecer a Escola de Samba Lins Imperial como de interesse cultural e social, esta Casa legislativa valoriza e homenageia o samba, a cultura popular, o bairro do Lins de Vasconcelos e toda a Zona Norte carioca.