CEFET-RJ não aceita interventor

A comunidade de estudantes e trabalhadores do CEFET-RJ está mobilizada contra a decisão do governo Bolsonaro de colocar um interventor para comandar a instituição de ensino.

Na manhã da última segunda-feira (19), estudantes e profissionais da educação do CEFET-RJ realizaram um protesto contra a intervenção do Ministério da Educação (MEC) na instituição. Maurício Aires Vieira, assessor do ministro Abraham Weintraub, foi nomeado diretor-geral, embora não faça parte do quadro de servidores do CEFET-RJ. O saguão do Gabinete da Direção, localizado no campus Maracanã, estava lotado e o interventor deixou a unidade cerca de 2 horas depois da sua chegada.

Ao comentar sobre o assunto, o vereador Renato Cinco destacou a história da autonomia político-pedagógica das unidades de ensino. Tal disputa já ocorria nas primeiras universidades europeias que resistiam às interferências de reis e até do Papa.

“O CEFET continua cumprindo a sua tradição histórica de lutar em defesa da escola pública. Estaremos acompanhando a luta da comunidade do CEFET, apoiando a luta em defesa da nomeação do candidato eleito democraticamente pela comunidade,” declarou Cinco.

Na luta pelo passe livre

Cinco também lembrou da mobilização estudantil pela regulamentação da lei do passe livre para estudantes de pré-vestibulares. A Emenda à Lei Orgânica 31/2019, apresentada pelo nosso mandato, já foi aprovada há oito meses pela Câmara Municipal, mas ainda não foi regulamentada pela prefeitura.

A lei garante passe livre no transporte municipal aos alunos de cursos pré-vestibulares com renda familiar per capita de até dois salários mínimos.

Os coletivos de pré-vestibulares comunitários do Rio de Janeiro estão convocando uma manifestação em frente à Secretaria Municipal de Transportes (Rua Dona Mariana, 48), para a próxima terça-feira, dia 27 de agosto, às 10 horas.