CPI das Enchentes – Não tem prevenção, tem reação

A CPI das Enchentes ouviu nesta quinta-feira (5), o secretário de Conservação Roberto Nascimento e o subsecretário Marcelo Sepúlveda. Ligados à Seconserva estão as empresas públicas Rio Águas, a Rio Luz e a Comissão de Cemitérios.

Roberto Nascimento, que é engenheiro civil e funcionário de carreira há 11 anos da prefeitura está no cargo desde abril de 2018. Ele surpreendeu os presentes ao dizer o óbvio. Ele administra a escassez.

“O recurso que eu tenho é para esse próximo mês, eu não tenho recurso para daqui a dois meses. Inclusive nós temos muitas dificuldades em tocar com algumas empresas, algumas já até saíram fora porque a prefeitura deve 20 milhões e não tem condições”.

Roberto disse ainda que não foi questionado ou mesmo informado pelo prefeito sobre a cisão da Secretaria de Meio Ambiente que até o mês de abril era ligada à Secretaria de Conservação.

“Isso acaba deixando a secretaria mais vulnerável com a separação dos órgãos. Trabalhamos numa direção e inexplicavelmente somos surpreendidos com a separação da secretaria. É uma decisão que vem de cima, feita pelo prefeito e o prefeito muitas vezes nem me comunica”.

Durante a sessão, o vereador Tarcísio Motta questionou se o secretário havia sido consultado sobre a nomeação do atual presidente da Rio Águas, o senhor Pedro Ferrer. “Não, eu fiquei sabendo pelo diário oficial ”, disse Roberto Nascimento.

A situação foi tão constrangedora que o presidente da Rio Águas, também presente na sessão, foi ao microfone esclarecer como aconteceu a nomeação dele.

O presidente da CPI, o vereador Tarcísio Motta criticou as desconexões entre secretarias e os órgãos. “Isso mostra o caos. E se tem alguma responsabilidade, pessoal, objetiva e direta do prefeito Marcelo Crivella é ele fazer neste nível a desorganização e o balcão que virou a criação de secretarias. É discricionário do prefeito e ele vai ter que pagar pela discricionariedade dele. Ele tem responsabilidade pelo o que faz. Quem sofre é a população”, pontuou.

O vereador Renato Cinco questionou sobre o planejamento da secretaria para os problemas causados pelo aquecimento global e as mudanças climáticas. O secretário respondeu que não existe plano, mas que está aberto a qualquer iniciativa neste sentido.

O presidente da Comlurb também foi ouvido. O engenheiro Paulo Mangueira assumiu a cadeira há poucos dias, na lógica de distribuição de cargos aos aliados do prefeito.

O vereador Tarcísio Motta problematizou mais uma vez a descontinuidade no cargo. E colocou o fato de Paulo Mangueira ser o 4º presidente da Comlurb desde o início da gestão Crivella. Tarcísio questionou o porquê de a Companhia de Limpeza Urbana da cidade estar ligada à Secretaria da Casa Civil, mas o presidente do órgão não soube responder.

Antes de encerrar a sessão, os vereadores presentes aprovaram a convocação do Secretário de Fazenda, junto à oitiva do secretário da Casa Civil.

Acompanhe as próximas datas na agenda abaixo:
12/09 – Secretaria da Ordem Pública + Secretaria da Saúde + Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil
13/09 – Audiência Pública: Apresentação do Relatório do GT da Prefeitura
19/09 – Secretaria de Infraestrutura e Habitação
26/09 – Secretaria de Urbanismo
03/10 – Secretaria da Casa Civil + Secretaria de Fazenda
10/10 – Prefeito Crivella/ Gabinete do prefeito
17/10 – Votação do relatório final da CPI das Enchentes