Valeu, Jorge!

Conheci o Jorge no movimento estudantil da UFRJ ainda no início dos anos 90, ele era do Centro Acadêmico de Geografia e eu do CA de Ciências Sociais.

De lá para cá vivemos juntos valiosos momentos. Fomos colegas de trabalho no gabinete do Eliomar, entramos juntos para o PSOL e participamos do Coletivo Comunista Libertário. Estávamos juntos quando passamos a lutar pela legalização das drogas e quando decidimos que eu seria candidato a deputado estadual em 2006.

Jorge foi um dos primeiros a perceber as articulações nefastas para o desmantelamento da Vila Autódromo. Participei da reunião, no gabinete do Eliomar, na qual o Jorge informou a um grupo de moradores os planos que vieram a seguir.

Em 2010, quando o Plínio vinha ao Rio nossa campanha a deputado federal se mobilizava para garantir a estrutura da campanha presidencial. Jorge esteve com o Plínio em todas as atividades de campanha no Rio. Motorista, segurança, secretário, enfermeiro. Tudo o que precisou ser para apoiar nosso bravo candidato, o Jorge foi.

Estes são apenas alguns exemplos da garra e determinação do Jorge na defesa de seus ideais, ideais generosos que levaram a uma vida inteira de dedicação às melhores lutas da classe trabalhadora do seu tempo.

Vai fazer muita falta. A classe trabalhadora brasileira perdeu um dos seus mais dedicados filhos.

*Do plenário da Câmara, Renato Cinco pediu um minuto de silêncio em homenagem ao camarada Jorge, que lutou contra o câncer e enfrentou a doença pelo SUS:

Jorge Borges Presente!