Táxi x Uber e a exploração dos motoristas

A Câmara Municipal iniciou a discussão sobre o Projeto de Lei Complementar 78/2018, que pretende regulamentar o serviço remunerado de transporte privado de passageiros na cidade. Na prática, atingiria diretamente os motoristas de aplicativos que circulam pelo Rio e hoje somam mais de 100 mil trabalhadores e trabalhadoras.

O Projeto foi proposto pelo presidente da Casa e na opinião do vereador Renato Cinco não contempla nem os motoristas de táxis e nem os motoristas de aplicativos. Para o vereador o que precisa ser debatido é a precarização de todos esses trabalhadores e a regulamentação das empresas que exploram essa categoria.

“É difícil votar em um projeto que coloca em confronto dois grupos de trabalhadores que precisam sustentar suas famílias. Quem tinha que perder com a regulamentação são empresas que exploram estes trabalhadores, como o Uber, a 99 e as cooperativas de táxi,” declarou Cinco.

Veja a íntegra do discurso:

A votação não foi realizada porque atingiu o horário limite da sessão e, mesmo que fosse prorrogada, não teria o número suficiente de vereadores para votar. A polêmica deve recomeçar na próxima semana.