Seminário Internacional “O Colapso Ambiental e a Cidade do Rio de Janeiro”

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal do Rio, presidida pelo vereador Renato Cinco (PSOL), vai promover o Seminário Internacional “O Colapso Ambiental e a Cidade de Rio de Janeiro”. O encontro será no Hotel Windsor Guanabara, no centro do Rio, nos dias 5, 6 e 7 de dezembro.

A proposta do Seminário é debater a incompatibilidade entre o sistema capitalista e a preservação ambiental.
Serão cinco mesas compostas por militantes nacionais e internacionais na defesa do meio ambiente e críticos do atual modo de vida baseado excessivamente no consumo. A abertura será feita pela liderança indígena Almir Suruí, da aldeia Lapetanha, na terra indígena Sete de Setembro, em Cacoal, Rondônia.

O aquecimento global não é apenas um problema das futuras gerações: ele já nos afeta hoje.

Desde que existe o ser humano, o planeta nunca foi tão quente. Os últimos quatro anos foram de recordes de temperatura global. Na Groelândia, o calor foi tão intenso e fora dos padrões, que a região perdeu um bilhão de litros de gelo em um único dia.

Além do calor, dados da ONU indicam que o plástico representa hoje cerca de 80% de todo o lixo nos oceanos e em 2050 irá superar a quantidade de peixes. A biodiversidade brasileira também está ameaçada. Estima-se que a taxa de extinção atingiu níveis 10 mil vezes maior que o natural. O problema é urgente.

O ano de 2019 pode ser o mais chuvoso da história do Rio de Janeiro. Duas dessas chuvas tiveram consequências desastrosas. Morreram 17 pessoas e o prejuízo econômico para a cidade foi enorme.

A situação irá piorar com as novas medidas anunciadas pelo governo brasileiro, como a liberação do uso de quase trezentos novos agrotóxicos, o desmatamento e a exploração econômica da Amazônia. Esse é um momento crucial para a defesa do meio ambiente no Brasil. Se não houver resistência e um amplo debate sobre a tragédia ambiental que vivemos, podem ocorrer danos irreversíveis.

Diante desse cenário, a Câmara de Vereadores do Rio, motivada pela Comissão de Meio Ambiente, que é presidida vereador Renato Cinco (PSOL), decidiu sediar o Seminário Internacional “O Colapso Ambiental e a Cidade do Rio de Janeiro”.

Um encontro para debater a tragédia ambiental 27 anos depois da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, a RIO-92.

O Seminário acontecerá no Hotel Windsor Guanabara, que fica na Avenida Presidente Vargas, nº 392.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO ABAIXO:

5 de dezembro

18h: Abertura
Almir Suruí – Associação Metareilá do Povo Indígena Suruí

Mesas

6 de dezembro

9h: Mercantilização e Poluição da Água (mesa 1)
Oscar Rivas – ex-ministro do Meio Ambiente do Paraguai, diretor do Instituto Socioambiental do Sul e assessor político da Sobrevivencia – Amigos de la Tierra Paraguay
Bia Figueiredo – bióloga, ativista e conselheira administrativa da Sea Shepherd Brasil
Leonardo Bauer – dirigente nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)
Mediadora: Moema Viezar – escritora, socióloga e militante feminista (MV – Consultoria de Educação Socioambiental)

13h: Colapso das Cidades Neoliberais (mesa 2)
Carlos Vainer – professor do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da UFRJ
Lurdinha Lopes – Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM)
Mediadora: Gizele Martins – comunicadora comunitária da Maré, mestra em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas (FEBF/UERJ)

17h: Poluição e Mudanças Climáticas (mesa 3)
Sergio Portella – pesquisador da Fiocruz
Marciel Viana – professor de Geografia e membro da coordenação nacional do Setorial Ecossocialista do PSOL
Camila Freitas – mestra e doutoranda em Políticas Públicas (PPED) da UFRJ
Mediador: Renato Cinco – vereador, presidente da Comissão de Meio Ambiente da CMRJ

7 de dezembro

9h: Destruição e Resistência de Territórios (mesa 4)
Neidinha Suruí – Associação de Defesa Etnoambiental – Kanindé
Reyna Cruz Lopez – Congresso Nacional Indígena do México
13h: Saídas para a Crise Ambiental (mesa 5)
Apawki Illapa Castro Vaca – Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (CONAIE)
Fidelis Paixão – professor da Universidade Federal do Pará (UFPA)
Adriana Ramos – Instituto Socioambiental (ISA)
Mediador: Rogério Rocco – mestre em Direito das Cidades, analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)